Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Repitam todos comigo:

 

não podes deixar que o medo te impeça de fazer as coisas

não podes deixar que o medo te impeça de fazer as coisas

não podes deixar que o medo te impeça de fazer as coisas

não podes deixar que o medo te impeça de fazer as coisas

não podes deixar que o medo te impeça de fazer as coisas

não podes deixar que o medo te impeça de fazer as coisas

 

a ver se me acalmo um bocadinho...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Explico. Adoro estar em casa com o meu filho, e por mim fazia disto vida. Quando voltar a trabalhar, ele vai ter que ir para o colégio, e acho que, com 6 meses, ainda é cedo para entregar a minha criança a um estranho.


MAS.


Há sempre um mas.


Nesta fase ele desconhece o significado de ansiedade de separação. Fica com qualquer pessoa. Não estranha ninguém. És um fácil, digo-lhe tantas vezes, dá conversa a todos e se estivermos com muita gente nem quer saber de mim ou do pai, é imediatamente atraído para as caras novas. Seria mais fácil habitua-lo à rotina de infantário neste momento? Será que o prolongar da licença foi realmente por ele, ou terá sido mais uma forma de tentar adiar a minha própria ansiedade de separação? Dúvidas, toda eu sou dúvidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vai daqui um grande beijinho para a Bomboca de Morango, meu pai natal secreto que me enviou um presentinho todo catita:

 

a.png

 

2.png

 

3.png

 

Vamos todos fazer de conta que eu não enfardei aquelas moedinhas de chocolate TODAS no próprio dia, sim?

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mil perdões a quem cá vem, não se apresenta uma casa neste estado. Passou-se o Natal, o meu aniversário, entramos num ano novo, e a espelunca aqui ao abandono. Tenho comentários por ler, posts por escrever, blogs por ler, e nem sei se tenho mão para tanto atraso. Mas eu volto. Juro que sim. Acho eu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:51

5 meses depois: o bebé

por Mia, em 04.01.18

Está cada dia mais menino e menos bebé. Continua sorridente e bem disposto, distribui sorrisos por toda a gente, seja quem vê todos os dias ou um desconhecido que lhe fale no meio da rua. Palra imenso, e começa a experimentar com a voz: gritinhos, guinchos, sons diferentes. Dá muitas gargalhadinhas, e tem imensas cócegas. Adora o pai e desfaz-se em sorrisos para ele. Já não mama em exclusivo - conversa para outro post - e tem uma paixão pelo biberão: agarra-o com as duas mãos e já o sabe meter na boca. Começou a querer sentar-se e já se aguenta bastante bem sozinho ou a segurar-se com as mãos à frente. Brinca imenso! Bate e puxa os brinquedos suspensos, agarra os que estão à sua volta e abana-os para fazerem barulho. Tenta alcançar quando lhe damos alguma coisa, apesar de nem sempre conseguir. Transfere objectos de uma mão para a outra e tenta comer TUDO. Morde imenso os brinquedos e as pessoas, mas não acha piada aos mordedores. Estando deitado, faz força para se sentar, apesar de ainda precisar de uma pequena ajuda. Também tenta por-se de pé, e se apanha uma superfície dura debaixo dos pés, começa a dar passinhos, um apressado! Dar banho agora é uma aventura: chapinha imenso com as mãos e os pés, e fica tudo molhado. No Natal delirou com os presentes: rasgávamos um bocadinho de papel e dávamos-lhe o resto e, com alguma ajuda, desembrulhou as prendas todas. O preferido do momento é este andador - apesar de ainda não o usar para andar, adora mexer nos botões todos. Já ajuda na hora de mudar da fralda e trocar de roupa: segura nos pezinhos para eu lhe limpar o rabiosque, e estica os bracinhos para vestir as camisolas. Deixou de achar piada a rebolar, e agora quando o deitamos só quer levantar as perninhas e abanar braços e pernas. De barriga para baixo, rasteja para trás que é uma maravilha, meu pequeno caranguejo! Adora ver-se ao espelho. Aprendeu recentemente a baloiçar e é um perigo tê-lo no colo agora. Agora que estamos os dois em casa (o pai de licença e eu de férias), passamos largos momentos os três no mimo. Ele explora as nossas caras com as mãozinhas e tenta agarrar-nos os olhos, o nariz, a boca, os cabelos... uma doçura! Não teve - até ver - regressão de sono, e começa a ter cada vez mais horários e rotinas. Há tempos diziam-me que os miúdos só tinham piada a partir dos 3 anos, e não podia discordar mais: cada dia com este bebé é único e maravilhoso.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Oh, não gostaste do que escrevi?




Quem vem lá

Site Meter