Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Tréguas.

 

Foi, sem sombra de dúvida, o melhor da gravidez.

De repente, o meu corpo era meu outra vez. Podia comer sem enjoar, a azia deixou-me, já conseguia funcionar o dia todo com os olhos abertos em vez de andar a cair pelos cantos, que maravilha!

 

 

É claro que, ultrapassado o medo inicial, questões mais futeis surgem, e de repente dei por mim a sentir mais a falta daquele copo de vinho, de uma barrigada de sushi, de comer uma salada fora de casa ou até mesmo de presunto - nunca adorei de paixão, mas acho que houve momentos em que matava por melão com presunto.

 

 

Depois, aquela parte gira de contar a toda a gente. Começamos pela família e amigos chegados. Alguns já suspeitavam, outros foram completamente apanhados de suspresa, mas todos reagiram com entusiasmo. Contei a um amigo que nunca mais me falou. Contei às minhas colegas de trabalho, e nunca fui tão apaparicada em toda a minha vida. Contei-vos, e desde então este tasco virou praticamente um baby-blog (desculpem qualquer coisinha!). Ao completar os quatro meses, decidi que estava na hora de contar ao mundo - porque estava farta de esconder, porque não queria ter que contar no emprego, um a um, e acima de tudo porque achei que tinha que enfrentar o meu medo que corresse mal - por isso dei a novidade no facebook.

 

 

Com o segundo trimestre chegou também a minha parte preferida: preparar o enxoval. Fiz a eco das 13 semanas no início de Fevereiro, e no dia seguinte comecei a fazer compras. Ele continuava em viagem, eu tinha um cartão de crédito e estavamos ainda em época de saldos. Agora pensem.

 

Fiz listas infinitas, corremos os restos dos saldos de ponta a ponta. Os três meses que se seguiram foram a verdadeira loucura: compramos roupa, acessórios, móveis. Transformamos o quarto da tralha em quarto do bebé, e o quarto de hóspedes no quarto da tralha. Mais para o fim do trimestre, começamos a lavar e a passar roupa, e partilhei convosco as minhas dúvidas e aquisições.

 

Mas a loucura não foi só nossa! As avós entraram em baby-mode e era raro o fim de semana em que não tinham qualquer coisa para o menino. Família, amigos e até blogo-tias, todos contribuiram com algo, e eu que sou uma pessoa tão fria vi-me envolvida numa onda gigante de carinho. Até mesmo pessoas da nossa infância: aquela senhora velhinha que já raramente vemos mas andou connosco ao colo, a amiga da mãe, a tia da avó, a prima afastada, sei lá... todas essas pessoas tinham um miminho: alguém bordou uma fralda, uma toalha, um babete... há quem tenha feito um casaco, uns carapins, uma manta. O armário do meu filho conta neste momento com 18 mantas, e eu comprei apenas uma. Temos toalhas para ele usar até chegar à faculdade, não conseguiremos, de forma alguma, usar todos os casaquinhos que nos tricotatam, e creio que é humanamente impossível um bebé gastar tantas fraldas de pano como as que nos deram. Mas acima de tudo, temos o coração a transbordar de amor.

 

 

É claro que houve incómodos, há sempre. Comecei a "respirar alto". Ouvi bocas foleiras. Senti-me gorda, enorme, gigante, irritada e impaciente, mas também estupidamente feliz.

 

 

E depois um dia ele mexeu-se. A bem da verdade, ele já se mexia desde sempre, eu é que não o sentia. Mas depois de começar, oh, desde aí tudo foi melhor.

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Imagem de perfil

De T. a 05.09.2017 às 17:33

Eu acho que assim que eles mexem esquecemos tudo para trás! Agora noto que só quero que ela mexa e mais nada! "Mexe  para a mãe saber que estás bem!" - é o que lhe peço todo o dia...so isso faz esquecer tudo o resto!


Ai que amor nos espera!!!! 
Imagem de perfil

De Mia a 06.09.2017 às 11:34

É a melhor parte, e deixa taaaaantas saudades!
Imagem de perfil

De T. a 07.09.2017 às 10:25

Deixa mesmo? É que tenho passado tanto nesta gravidez que tem dias que não vejo a hora de deixar de estar grávida :( espero que comece tudo a correr melhor!!!
Imagem de perfil

De Mia a 12.09.2017 às 11:00

Deixa MESMO, vais ver :)

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Oh, não gostaste do que escrevi?




Quem vem lá

Site Meter