Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O jogo das parecenças

por Mia, em 03.10.17

Começou tinha ele umas 2h de vida no máximo, e nunca mais parou. A conversa e sempre a mesma: é parecido com o pai. Sempre, de todas as vezes que o vêem, sempre as mesmas pessoas, sempre a mesma conversa já mete nojo. Vou mandando a boca do costume, que ele é parecido com o carteiro ou com o homem do gás, e sorrio, sorrio para não agredir ninguém, mas não está fácil.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um bebé não é um boneco

por Mia, em 02.10.17

Parece uma constatação obvia, não é? Só que por algum motivo que desconheço, tenho que repetir isto todos os dias, várias vezes ao dia. Este fim de semana, mais um episódio engraçadíssimo: tinha convidado familiares para jantar, e apareceram pelas 18h. E ficaram até muito perto da meia noite*. E claro, nesse tempo todo, qualquer oportunidade é desculpa para pegar no menino, não posso desviar os olhos cinco segundos que já está no colo, um stress imenso. E não é só o colo: mesmo sabendo que o puto tem andado indisposto, que durante a semana tivemos que passar uma noite no hospital de vigilância por episódios de vómitos sucessivos - falarei disso depois - que tem mais é que ficar sossegadinho, vai de abanar a criança. Perco anos de vida nestes encontros familiares, sabeis lá vós. Resultado? Um domingo infernal, o puto a chorar até se engasgar como nunca tinha visto antes, só acalmava no colo e com embalo, tão pouco comum nele. Acho giríssimo virem aqui dar colo à criança, porque "os bebés não se estragam com mimos", e depois irem embora, sem perceber que quem sofre é ele. Sem terem noção que o meu filho tem quase 6kg e eu tenho problemas de coluna, e é fisicamente impossível para mim dar-lhe colo o dia todo. Sem notarem que, para elas terem 3 horas de diversão com o "brinquedo", ele vai chorar um dia inteiro. Escrevam o que vos digo que não vos costumo mentir: o mais difícil da maternidade é, sem sombra de dúvida, gerir todas as pessoas à nossa volta. Haja paciência.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*e a falta de noção que é chegar tão cedo e sair tão tarde da casa de alguém que tem um bebé de dois meses!?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Explico

por Mia, em 21.09.17

A minha sogra veio limpar-me a casa, e eu fiquei chateada.

 


Pode ter sido porque foi a gota de água que transbordou um copo já cheio de situações mais chatas, pode ter sido apenas o meu mau feitio, pode ter sido uma reacção normalíssima. Foi por isso que vos perguntei como reagiriam.

 


A verdade é que senti esta "oferta" como um atestado de incompetência. Sim, somos todos iguais cá em casa, igualdade de género e divisão de tarefas, blá blá blá, mas em limite ele está fora a trabalhar o dia todo e as tarefas domésticas recaem maioritariamente sobre mim. As coisas são como são. Por isso, quando a minha sogra comunicou que cá vinha limpar, o que eu ouvi foi: "és uma incompetente que nem sabe tratar da casa, pobrezinho do meu filho, pobrezinho do meu neto, se não sou eu a tratar da casa deles sabe-se lá a pocilga em que viveriam".



Posso estar a exagerar um nadinha, mas não se metam com uma puérpera (sempre quis usar esta palavra) hormonal.


Depois, há toda a situação de a "oferta" ter que levar com estas aspas, porque não foi tanto uma oferta mas sim uma imposição. Não suporto que se metam na minha vida. Não suporto que me digam o que fazer. E na minha casa mando eu. Fiquei chateada por isto me ter sido comunicado, e mais ainda por ele me ter apresentado o facto consumado, ainda que ele se defenda dizendo que a ele também não foi pedida opinião. Não acho que tenha sido por mal, claro. Mas acho que ele tinha que ter posto um travão à coisa e avisado que iria falar comigo e depois logo se via, mais não seja para marcar uma posição: cá em casa mandamos os dois, e mais ninguém.

 


Acho que, por muito que as pessoas sintam que podem ajudar ou que fariam algo melhor do que está a ser feito no momento, a barreira da privacidade do lar alheio não pode nunca ser transposta. Oferecer ajuda sim, impor essa mesma ajuda, nunca.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eu explico. Chegar, abeirar-se do bebé que dorme tranquilamente na alcofa e, de indicador em riste, dar-lhe leves pancadinhas na bochecha enquanto pergunta: "entãaaaaaoooo bebé??? Como estaaaaas???", até ele acordar. Nunca falha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bem sei que ando irritadiça q.b.

por Mia, em 03.08.17

Mas aquele comentário: "vi uma foto tua no sítio X!" ou "vi uma foto tua a fazer Y!", quando a foto em questão foi postada por mim numa rede social onde me segues porque eu deixo... é mesmo necessário? E sendo, é preciso fazê-lo sempre que eu posto alguma coisa? Pelo amor da santa, não me enervem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cada um a puxar para o seu lado, num excitex louco de quem quer que o puto nasça no seu dia. Eu? Eu gostava muito que o meu filho tivesse um dia só dele...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem tem família tem tudo #2

por Mia, em 15.02.17

Avó, depois de saber da gravidez:

 

Eu por acaso ainda na semana passada disse ao teu avô: a Mia está a ficar tão gorda!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem tem família tem tudo #1

por Mia, em 13.02.17

"Não tinha reparado que estavas grávida porque tu também sempre foste larga de anca".

 

Há muita coisa que eu fui ou sou. Larga de anca nunca foi uma delas...

Papai, a deitar abaixo a minha autoestima desde 1986 <3

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nada temam.

por Mia, em 25.10.15

São pessoas que claramente mal nos conhecem. Se nos acompanhassem no dia a dia apostavam que não chegávamos ao fim do mês.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aparentemente há quem aposte que não ficamos juntos até a casa estar pronta, quanto mais até ao casamento.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Assim de repente a minha páscoa foi isto:

 

- Acordei às 7h30 da manhã, doía-me a barriga. Doeu-me a barriga o dia todo e nem sei porquê.

- Beijei 2 cruzes, raios me partam, eu bem tentei fugir mas praticamente deram-me com elas nos dentes.

- Comi três amendoas, não toquei nos outros doces.

- A minha avó deu-me um abraço e quando eu menos esperava apertou-me as costas e disse-me que eu tinha voltado a ganhar pneus e que estava gorda como ela.

- Fui para o wc e apalpei as costas todas à procura dos pneus. Obriguei o meu homem a fazer o mesmo - sim estou louca.

- Cheguei à conclusão que sim, podia estar mais magra, mas foda-se, há um ano atrás vestia um XL e ontem levava um top M, por isso se calhar a coisa não está assim tão escandalosa.

- Pela primeira vez na minha vida, tanto do lado da família do meu pai como do da minha mãe, estou de relações cortadas com alguém. Não sei o que isso diz de mim, se sou uma cabra intransigente ou uma pessoa de convicções, mas o ambiente não estava bonito em nenhum dos lados.

 

 

E vocês? Também adoram a páscoa e a família e tudo e tudo?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 Coincidência? Hum. Vai ser uma bela noite, é o que vos digo.

1305297894296_1043413.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:52

Era uma vez uma jovem linda e esbelta que fazia tudo pela sua família. Estava sempre lá quando era preciso, fossem as horas que fossem, nem que tivesse outras 3000 coisas mais interessantes para fazer, se alguém precisava ela estava lá. Um dia um cabrão de um charlatão entrou na família, por via de ser o "namorado"* da mãe da jovem, e achou que giro, mesmo giro, era correr com filho da tal mãe, irmão mais novo da belíssima jovem, rapaz ainda dependente da mãe e com problemas seus q.b. A miúda, que não tem sangue de barata e sempre aprendeu a defender os seus mais do que a si própria, armou um escarcéu, chamou todos os nomes e mais alguns ao gajo e disse toda a merda que boa educação a tinha feito manter calada durante demasiado tempo. A família criticou-a, virou-lhe as costas, e agora são todos muito felizes - a família e o charlatão, entenda-se.

Fim.

 

 

*a razão destas aspas dava conteúdo para outra história. Lá chegaremos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:03

Há muito tempo atrás, corria o ano de dois mil e oito quando uma jovem criou o seu primeiro blog. Era uma espécie de diário online onde depositava todos os seus dramas e parvoíces. Estava a meio de uma depressão, com um esgotamento e com os problemas típicos de quem começa a deixar a adolescência para entrar na vida adulta, e a juntar à festa ainda tinha a mania de que sabia tudo e tinha sempre razão, imaginem o registo. Era um blog parvo-lamechas, a tal da jovem escrevia coisas muito estúpidas, e - pior! - tinha duas ou três dezenas de pessoas que por lá passavam religiosamente todos os dias e diziam ámen com toda a merda que ela debitava.

O seu primeiro blog era isso tudo, mas era muito mais: era genuíno. Era o único sitio onde podia ser ela mesma, sem reservas, sem medos, nua. E assim foi durante uns dois anos. Um dia, uma familiar próxima deu com ele e identificou-a imediatamente. Acto contínuo: copiou o link e enviou para todas as pessoas da sua família que tinham e-mail. E foi assim que, um belo dia, a tal jovem deprimida, fragilizada e com a vida a cair aos pedaços, viu ainda toda a sua intimidade exposta e ridicularizada, por uma pessoa que era suposto protegê-la.

Fim.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

E sim.

por Mia, em 13.01.15

Eu tenho noção do clichê que é ser a filha que não gosta do padrasto. Mas se vocês soubessem... se soubessem só um bocadinho...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:24

Como é possível?

por Mia, em 13.01.15

Um gajo absolutamente repugnante, escumalha do pior, mentiroso, interesseiro, com a puta da mania, intrometer-se entre uma mãe e os seus filhos, enxovalhar publicamente o "elo mais fraco", o que mais precisa dela, e a mãe escolher... o homem. Que não é nada, não é família, apareceu há dois dias e está a arruninar completamente a vida do seu filho?

 

Alguém me explique, porque eu estou cansada de tentar entender, estou cansada de explicar o óbvio, de lutar contra moinhos, de perseguir uma causa impossível e defender o indefensável, e neste momento só quero mais é que se fodam todos, mas não mexam com o meu irmão. Não me queiram ver virada do avesso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dizia a minha bisavó

por Mia, em 30.10.14

"Perca-se um bom amigo, não se perca um bom recado"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:04

Seriously

por Mia, em 25.03.14

O que se responde a uma pessoa que chega ao pé de nós e diz: "estive a ver umas fotos antigas... estavas tão gorda!"?! Tenta-se encontrar palavras minimamente decentes, manda-se logo pró caralho ou parte-se para a violência?

Já agora, existe algum tipo de restraining order que eu possa pedir, para que certas e determinadas pessoas não se possam aproximar de mim enquanto eu não tiver umas três ou quatro caipirinhas no bucho?

Isto das festas de familia mata uma pessoa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

...mais as putas das sementes.

por Mia, em 12.03.14

Senhor meu avô diz que perdeu 7kg a comer chia. Eu já vi aquilo inchado depois de levar com água e não me parece nada bem, no entanto encontrei isto na garagem e estou tentada a dar-lhe uma hipótese:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:04


Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Oh, não gostaste do que escrevi?




Quem vem lá

Site Meter