Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Quando eu andava no liceu, havia um rapaz na minha turma que era parvo, muito parvo, um verdadeiro cepo. Sucede que tinha a puta da mania, falava muito e achava-se o maior da aldeia dele. Já eu, sempre fui mais para o tímida, calada, quieta no meu canto, a "miúda do olhar triste" como alguns chegaram a dizer. Levava a vida sem grandes espalhafatos, ninguém dava por mim, ninguém reparava que eu tirava as melhores notas da turma ou que estava atenta ao que se passava à minha volta, e muitos tomavam-me por lorpa. O rapazito incluído. Muitas vezes em conversas ele vinha para o pé de mim e explicava-me as coisas, assim como se eu fosse um bocadinho limitada. Falava devagarinho, como se estivesse a tentar ensinar algo a uma pessoa mesmo muito burra. E eu fazia de conta que sim, que estava a aprender imenso com ele. Às vezes até me entusiasmava e soltava um ou outro elogio à forma como ele tão sabiamente me instruíra. Outras vezes exagerava um bocadinho nas minhas "dúvidas" e levava a coisa a um nível tão ridículo que toda a gente à minha volta acabava por dar conta do que eu estava a fazer menos ele, ele nunca percebia, tão grande era aquele ego e aquela vontade de mostrar quão bom era.

 

Nunca perdi tempo a contar-lhe que quando me fazia de burra ao pé dele era para minha diversão, porque achava um piadão tremendo a vê-lo a tomar ares de superior enquanto me explicava, geralmente de forma errada, alguma coisa básica, e se sentia o rei da macacada.

Não tinha nem vinte anos nessa altura, mas ainda hoje, já quase nos trinta, continuo a achar que quando uma pessoa que claramente não o é, se tenta mostrar superior, mais vale dar-lhe corda e retirar daí umas boas gargalhadas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:16


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Oh, não gostaste do que escrevi?