Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Acho uma atitude de profundo egoísmo.

 

Nenhuma criança merece que se coloque nos seus ombros o peso de manter uma relação que está a falhar. Como filha de pais divorciados, acho que tenho legitimidade para falar sobre o assunto do ponto de vista da criança. Os meus pais separaram-se pela primeira vez quando o meu irmão nasceu, tinha eu quatro anos. Lembro-me de me explicarem as coisas, e de ir com a minha mãe viver para casa dos meus avós por uns tempos, mas não me lembro de muito mais. Sei que pouco depois já vivíamos todos juntos outra vez. Lembro-me de os meus pais discutirem, mas isso eram os bons tempos. Recordo-me de o meu pai oferecer muitas vezes presentes à minha mãe, que eu fui começando a identificar como "presentes de culpa", ou seja, uma tentativa de remediar quando tinha feito alguma borrada, ou de irem passar fins de semana fora, num esforço de recuperar algo que já estava perdido há muito. Os anos foram passando, e nunca tive o casamento dos meus pais como um exemplo. Com o avançar do tempo, o ambiente familiar foi-se ressentindo, e a gota de água foi quando a minha mãe decidiu voltar a estudar. O meu pai, pessoa extremamente possessiva e ciumenta, tomou aquilo como um ataque pessoal. Nas noites em que a minha mãe tinha aulas, jantávamos à pressa e deitavamo-nos cedo, para que ela ao chegar encontrasse uma casa escura e silenciosa e se sentisse culpada. Quando estávamos todos em casa, o ambiente era de cortar à faca e eles nem se olhavam nos olhos. Perto do fim, já faziam vidas totalmente separadas, apenas partilhavam o mesmo tecto, "por nós".

 

Será este ambiente mais saudável do que o divórcio?

 

Eu respondo: não. Não é. Quando os meus pais se separaram definitivamente, eu e o meu irmão voltamos a ter uma família. Nunca mais vivemos todos debaixo do mesmo tecto, mas passamos a conversar mais, a ter tempo de qualidade com cada um dos nossos pais. Ganhamos a atenção deles. Pessoalmente, ver os meus pais recomeçarem a sua vida e reerguerem-se após uma situação complicada, foi para mim uma inspiração - e não é isso que os pais querem ser para os seus filhos?

 

E vocês? O que pensam sobre este assunto?

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De Nuvem a 16.12.2017 às 10:55

não podia concordar mais contigo. não sou filha de pais separados, mas também é esse o meu ponto de vista.os flhos merecem viver numa casa feliz...beijinhos
Imagem de perfil

De Mia a 31.01.2018 às 10:53

Exactamente! *

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Oh, não gostaste do que escrevi?