Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Um turbilhão, entre caixões, igrejas, capas negras. Flores e abraços apertados. Palavras inuteis mas sentidas, lágrimas por quem, não sendo um "dos meus", existia na minha vida e era o mundo para uma das "minhas pessoas".

Não houve feriados, não houve risos, não houve o habitual sono tranquilo. Foram substituidos por incredulidade, descrença, medo.

Que estupidez, a facilidade com que uma vida acaba. Que parvoíce que um gesto inocente e irreflectido tenha ceifado, de forma tão violenta, a vida de quem ainda tinha tanto para viver.

Que puta de vida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:50


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Oh, não gostaste do que escrevi?